28. Sobre a Maternidade Divina de Maria

[Diante da dificuldade que é comum para este tema e, conforme foi levantado no Artigo 26 deste blog, disponibilizo um ensaio simples e telegráfico para exclarecer mais, deixando de lado um pouco da linguagem teológica.]

Leia o Artigo 26 em seguida, penso que ficará mais claro. Ou use o menu [ por temas ] para ler tudo o que já foi publicado aqui sobre Maria.

.

Vamos diferenciar uma coisa aqui.
Tem um ditado popular que pode nos ajudar muito:
“Mãe é quem cria!” (aquela que cuida ou cuidou).

Alguns querem dividir Jesus, como se fosse possível separar sua humanidade de sua divindade. Jesus é inteiro, onde aquilo que distinguimos – humanidade e divindade – nele não pode ser separado, dividido. Fazemos a distinção apenas para entender e afirmar que aquele que chamamos de Deus-Filho (Verbo de Deus), também fez-se homem e era Deus completo e homem completo:
Então, Jesus não era metade homem e metade Deus. Jesus é homem por inteiro e Deus por inteiro.

Assim temos que, o que nasceu de Maria foi Jesus INTEIRO. O que foi gerado no ventre de Maria, foi DEUS inteiro.
Adaptando a linguagem do Credo Niceno-Constantinopolitano, podemos usá-lo pra entender: “Gerado, não criado”. O Credo se refere à “geração” eterna do Verbo que existe com o Pai desde sempre e que Ele não é uma criatura inferior ao Pai, mas um mesmo com o Pai e o Espírito Santo. Teologicamente ficou que: O Verbo foi gerado do Pai, e deles (de ambos), Procede o Espírito Santo.

Mesmo assim, ajuda-nos a entender o que nasceu de Maria.
Nasce de Maria Jesus inteiro. É gerado em seu ventre o Verbo humanado. Sem dividir. E, assim como numa gestação normal, biologicamente, a mãe participa com uma metade dos cromossomos e o pai com a outra metade, a humanidade de Jesus vem de Maria e o Verbo vai até seu ventre vindo do Pai pelo Espírito Santo – mas forma um único ser em sua totalidade Humana e também Divina.

O que é gestado no ventre de Maria é, portanto, Deus feito carne – Maria gerou em seu ventre Jesus Cristo, o Verbo Divino; “Deus de Deus”. Portanto o que nasce dela É DEUS!!!! Nem mais, nem menos.

Isso significa que Maria “criou [deu origem] à divindade” de Jesus???? Não!!!!
Porque a divindade de Jesus é incriada – sempre existiu como Deus, desde sempre. Mas Jesus, em sua totalidade foi gestado no ventre de Maria, onde fez-se Homem também. Assim, temos que Maria é mãe de Deus, pois o que nasceu dela e aquele de quem ela cuidou chamamos Deus!!!!!

Deixe uma resposta